Tudo o que você precisa saber antes de realizar investimentos

Por

 

Menor risco, maior segurança e rentabilidade estável. Essas são três características distintas da renda fixa, uma forma de investimento mais conservadora e estável em comparação com a renda variável.

Os produtos nessa categoria, como CDBs, LCIs e LCAs, são escolhas excelentes para quem está dando os primeiros passos no mercado financeiro.

Se você já ouviu falar sobre o assunto, mas deseja mais informações antes de investir, não se preocupe. Preparamos um guia abrangente para responder todas as suas perguntas.

Continue lendo para descobrir tudo o que você precisa saber sobre a renda fixa!

O que é Renda Fixa?

Renda fixa se refere a investimentos com regras de rendimento predefinidas no momento da aplicação. Isso implica que o investidor já sabe antecipadamente os prazos, taxas ou índices utilizados para calcular o retorno.

Esses investimentos são feitos em títulos públicos ou privados, basicamente consistindo em um empréstimo para bancos, instituições financeiras ou governos.

Em troca do valor emprestado, o investidor recebe o montante investido acrescido de juros ou correção monetária após o vencimento.


Principais Benefícios

A renda fixa é conhecida por sua tradição e segurança. Por isso, investidores de diferentes perfis e experiências optam por esse tipo de investimento. Aqui estão os principais benefícios:

  • Previsibilidade: você tem total conhecimento da quantia a ser recebida no final do investimento;
  • Segurança: a maioria dos produtos possui garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC);
  • Diversificação: existe uma ampla variedade de títulos, com diferentes rentabilidades e prazos;
  • Liquidez: a renda fixa oferece diferentes prazos de resgate, com algumas opções permitindo saques a qualquer momento;
  • Acessibilidade: não é necessário ter uma grande quantia para começar a investir. No PagBank, é possível iniciar com apenas R$1!

Características da Renda Fixa

Para investir com segurança, é fundamental conhecer bem o produto escolhido. Vamos explorar as principais características da renda fixa:

Rentabilidade

A rentabilidade é um dos principais atrativos da renda fixa, uma vez que o rendimento é estável, ao contrário do mercado de ações ou câmbio.

Ao investir em um título, você já tem ciência do valor a ser recebido ao final do período.

Por exemplo, se um CDB oferece uma rentabilidade de 110% do CDI e o CDI está em 12% ao ano, o retorno será de 13,2% ao ano sobre o valor investido.

Baixo Risco

A renda fixa é conhecida por seu baixo risco, especialmente em comparação com a renda variável. Esse aspecto está diretamente relacionado à capacidade do emissor de cumprir com os pagamentos.

Em resumo, o único risco é associado a aplicar com uma instituição financeira incapaz de pagar o que deve. Portanto, é essencial avaliar a saúde financeira do emissor do título.

Segurança

A segurança é outra característica marcante da renda fixa. Muitos títulos são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), com destaque para CDBs, LCIs e LCAs.

Isso significa que o investidor possui proteção contra perdas eventuais, desde que o limite de garantia não seja ultrapassado. Veja como funciona:

  1. Até R$ 250 mil por conjunto de depósitos ou investimentos em cada instituição;
  2. O valor total é limitado a R$ 1 milhão por CPF ou CNPJ a cada 4 anos.

Essa proteção adicional proporciona mais segurança ao seu dinheiro, tornando os ativos de renda fixa ainda mais atraentes para investidores que desejam aplicar com tranquilidade.

Liquidez

A liquidez refere-se à facilidade de se desfazer de um ativo e receber o valor investido de volta. Investimentos altamente líquidos permitem recuperar o montante rapidamente.

Por exemplo, a liquidez diária permite que o investidor resgate o valor investido e receba na conta até o dia seguinte, no máximo.

Quando a liquidez é baixa, significa que é necessário esperar mais tempo para recuperar o valor investido.

No mercado de renda fixa, existem opções com alta e baixa liquidez. Consulte a tabela para identificar essas opções:

Prazos

O prazo se refere ao período que o dinheiro fica investido em um produto. O término desse período é conhecido como vencimento.

Os prazos variam, permitindo que o investidor escolha a opção mais adequada às suas necessidades:

Mecanismos de Remuneração

A remuneração está nos juros pagos ao investidor por emprestar o dinheiro para a instituição emissora do título. Pode ser pré-fixada, pós-fixada ou híbrida. Saiba mais!

Pré-fixada

Os investimentos com remuneração pré-fixada indicam que o investidor já conhece a rentabilidade ao final do período. Ou seja, a taxa de juros é fixa e estabelecida na contratação.

Por exemplo, se um título oferece uma taxa de 7% ao ano, um investimento de R$1.000 renderá R$70 após um ano. Esse tipo de aplicação é ideal para quem busca previsibilidade e estabilidade diante das oscilações do mercado.

Pós-fixada

Os títulos pós-fixados têm a rentabilidade vinculada a um indicador econômico, como a taxa Selic ou o CDI. Isso significa que o retorno varia de acordo com o desempenho desse indicador.

Por exemplo, se um título oferece 100% do CDI e o índice acumula 6% ao ano, o retorno será de 6%.

A vantagem dos títulos pós-fixados é que costumam acompanhar a inflação, mantendo-se alinhados com o mercado e evitando surpresas em um cenário de responsabilidade fiscal.

Enviar pelo WhatsApp compartilhe no WhatsApp

Híbrida

Os títulos híbridos combinam características de remuneração pré e pós-fixadas. Possuem parte da remuneração pré-fixada e parte vinculada a um indicador econômico, como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Dessa forma, o investidor pode ter, por exemplo, um retorno de 3% ao ano mais a variação do IPCA. Essa modalidade é ideal para quem busca proteção contra a inflação e deseja garantir uma rentabilidade real positiva.

Há Riscos na Renda Fixa?

O principal risco da renda fixa surge caso a instituição financeira não honre o pagamento do título, conhecido como “Risco de Crédito”.

No entanto, muitos títulos dessa modalidade contam com garantias, como o Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que protege o investidor contra possíveis perdas.

No caso de investimentos em títulos públicos, é importante lembrar que a garantia provém do Tesouro Nacional.

Nesse sentido, é essencial destacar que o governo brasileiro é reconhecido como bom pagador e tem interesse em manter essa reputação.

Se o governo falhar em honrar os compromissos com os investidores, ele seria visto com desconfiança pelos mercados nacional e internacional, dificultando a captação de recursos. Assim, ao cumprir com suas obrigações, o governo mantém sua reputação e atrai mais investidores e empresas.

Comparação entre Renda Fixa e Renda Variável

Renda fixa e renda variável representam dois pilares do universo dos investimentos. Enquanto uma oferece segurança e previsibilidade, a outra é caracterizada pela volatilidade, porém com potencial de retorno mais elevado.

Veja as principais diferenças na tabela abaixo:

É Viável Diversificar com Renda Fixa?

Com certeza! A diversificação é uma estratégia essencial para qualquer investidor, e a renda fixa disponibiliza diversas formas de alcançar esse objetivo.

Ao diversificar, é possível combinar títulos com diferentes prazos, rentabilidades e níveis de risco, construindo uma carteira equilibrada alinhada com seus objetivos.

Por exemplo, é viável combinar investimentos de curto prazo, como CDB, com títulos de longo prazo, como debêntures ou títulos públicos. Além disso, é possível optar por aplicações pré-fixadas, pós-fixadas ou indexadas à inflação.

Dessa maneira, parte do capital fica protegida e oferece retornos previsíveis, enquanto outra parte busca rentabilidades mais atrativas, equilibrando risco e retorno.

Melhores Investimentos em Renda Fixa

Existem diversas opções de investimentos em renda fixa. Muitas delas estão disponíveis no app PagBank, onde é possível conhecer as oportunidades destinadas aos clientes.

No entanto, antes de investir, é essencial conhecer mais detalhes sobre os principais produtos e escolher aquele que melhor se alinha ao seu perfil e objetivos financeiros.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título emitido pelos bancos para captar recursos. Funciona como um empréstimo ao banco, com juros cobrados. O retorno do investidor está nos juros pagos pela instituição.

A remuneração pode ser pré-fixada, pós-fixada ou híbrida. O CDB é assegurado pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF e instituição financeira.

Títulos Públicos

Emitidos pelo Tesouro Nacional, os títulos públicos são considerados os investimentos mais seguros no país.

Existem diversas opções, como Tesouro Direto, Tesouro Selic, IPCA+ e Pré-fixado, cada um com características próprias e adequados para qualquer tipo de investidor.

LCI e LCA

Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos emitidos por bancos e isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas. A remuneração pode ser pré ou pós-fixada.

As Letras Imobiliárias e do Agronegócio também são garantidas pelo FGC, com limite de R$ 250 mil por aplicação e R$ 1 milhão por CPF.

CRA e CRI

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) representam valores a serem pagos no futuro.

Esses documentos são vinculados a transações financeiras entre entidades do setor imobiliário ou do agronegócio, como cooperativas e empresas.

CRIs e CRAs também são isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas, com remuneração pré-fixada, pós-fixada ou híbrida.

Debêntures

Esses são títulos de dívida emitidos por empresas não financeiras. Podem ser incentivadas, isentas de IR, ou comuns. A remuneração pode ser pré-fixada, pós-fixada ou híbrida.

Fundos de Investimento

Os fundos de investimento em renda fixa aplicam recursos em diversos ativos dessa categoria.

Os retornos variam de acordo com a estratégia do gestor e as taxas de administração cobradas. Verifique o regulamento e as informações essenciais antes de investir.

Taxas e Tributações na Renda Fixa

Para investir de forma segura e consciente, é essencial compreender os impostos e encargos, pois impactam diretamente na rentabilidade.

Confira as principais taxas e tributações:

Declaração de Renda Fixa no Imposto de Renda

Declarar investimentos em renda fixa no Imposto de Renda é obrigatório e essencial para evitar problemas com a Receita Federal.

O processo pode parecer complexo, mas basta seguir alguns passos simples. Veja:

  1. Acesse o programa da Receita Federal e selecione Bens e Direitos;
  2. Escolha o código correspondente ao tipo de investimento em renda fixa;
  3. Informe a instituição onde adquiriu os títulos;
  4. Preencha o campo Situação em 31/12 com o valor investido;
  5. No campo Rendimentos, informe os rendimentos recebidos no ano;
  6. Repita o procedimento para cada aplicação;
  7. Reveja todas as informações antes de enviar a declaração.

S

📂 Informações Diária